Pesquisadores italianos e alemães de uva farão visita técnica em Curitibanos e São Joaquim

Pesquisadores italianos e alemães de uva farão visita técnica em Curitibanos e São Joaquim

Pesquisadores alemães e italianos estão percorrendo Santa Catarina juntamente com profissionais da Epagri e da UFSC, para conferir os resultados já alcançados no projeto de desenvolvimento das uvas Piwi. O termo alemão caracteriza um grupo de variedades de uvas obtidas nos últimos anos via melhoramento genético, oriundas de cruzamentos de variedades viníferas com espécies selvagens. O objetivo é reunir numa só planta a qualidade das viníferas e a resistência a doença das selvagens, permitindo a produção de vinhos finos com menos custos e impactos ambientais reduzidos.

O projeto Avaliação vitivinícola de genótipos de videira nas condições edafoclimáticas de Santa Catarina vem sendo desenvolvido desde 2013 pela Epagri, em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e apoio da Fundação Edmund Mach, que fica na Itália, e do Instituto Julius Kuhn, da Alemanha. Nesta quinta feira, 30, os técnicos brasileiros e europeus, estarão visitando cultivos experimentais em  São Joaquim e Curitibanos.  

Resultados promissores

André Luiz Kulkamp de Souza, gerente da Estação Experimental da Epagri em Videira e um dos pesquisadores responsáveis pelo projeto, explica que o grande diferencial das uvas Piwi é que se consegue, via tecnologia molecular, novas variedades com mais de 90% de sangue de vinífera e apenas o gene de resistência – já conhecido e mapeado – das selvagens. Ele conta que, em alguns países do mundo as uvas Piwi já são consideradas viníferas.

Desde 2015 as novas variedades vêm sendo testadas em cinco regiões vitícolas do Estado com diferentes altitudes: Água Doce, com 1.300m; São Joaquim, com 1.100m; Curitibanos, com 900m; Videira, com 750m; Urussanga, com 49m. As uvas europeias de alto potencial enológico – como Cabernet Sauvignon, Merlot, Chardonnay, Pinot Noir – são muito suscetíveis a doenças fúngicas quando cultivadas nas condições climáticas catarinenses.

Comunicação Epagri

Compartilhe com seus amigos